Nas contas explosivas com a vida e a Fábrica da Pólvora de Barcarena

No final de Maio de 2017, o grupo Foto&Sketchers 2 Linhas, que coordeno, celebrou 2 anos de existência e 50 actividades. Isto significa que muitas dessas actividades foram concretizadas quando escrevia a minha tese de mestrado… Nunca desisti da sua organização, porque nas dores desse trabalho, os encontros e as expedições de rabiscos e de fotografias foram o meu balão de oxigénio.

Entreguei a tese em Abril de 2016 e discuti só no Outono… Ainda hoje sinto que foi o maior desperdicio do meu tempo e do tempo da minha orientadora e também do meu dinheiro… Mas foi feito e pronto. Fico muito feliz por não ter abandonado as minhas actividades lúdicas em prole de algo que sinto jamais me servirá para o que quer que seja, com excepção de ficar a saber exactamente o que não quero para mim.

Para que é que ainda penso no assunto passado estes meses? Porque estou a ajustar contas à vida. Faço sempre um balanço, mesmo que inconsciente, na altura do meu aniverário. Vou fazer 41 anos e sei cada vez melhor que não quero perder tempo com aquilo que não serve para nada e com pessoas que não tem nada para me ensinar nem que têm abraços para me dar!!

Este post espelha o meu estado de espírito um pouco explosivo, mesmo a calhar com o tema da 50ª Actividade dos Foto&Sketchers 2 Linhas, um encontro na Fábrica da Pólvora de Barcarena, em Oeiras.

PUMMMM!!!

Agora, mais vale focar-nos só nas estrelas deste primeiro desenho com PENSAMENTOS POSITIVOS ;-)

Mais rabiscos e fotos desse encontro AQUI

Rita Care - Fabrica Polvora - 21mai2017 (1) - 1024

Rita Care - Fabrica Polvora - 21mai2017 (2) - 1024

 

Crónica Desenhada com Jazz de John Coltrane

Crónica Desenhada com Jazz de John Coltrane
| Publicado em XZibit Art |

No mês de Março de 2017, a Oficina do Desenho (OD), em Cascais, organizou várias sessões para desenhar a música.

Às 18h daquela sexta-feira chuvosa, o ambiente era animado com alguns jovens a terminar os seus trabalhos artísticos. Os participantes da Oficina Livre do Laboratório Experimental foram chegando. A música que tocava mudou para o jazz do prometido John Coltrane. Ao longo de três horas ouviu-se, por várias vezes, a música “My Favorite Things”, tocada por Coltrane pela primeira vez em 1961.

Desassossegada ao fim de um dia de trabalho, sentei-me e rabisquei no meu caderno. Primeiro, o Miguel Teixeira (arquitecto, artista plástico e Vice-Presidente da Oficina do Desenho) a lavar materiais. Depois, uma das participantes que explorava lentamente as formas de uma folha amachucada. Inspirada pelo momento e pelo som do jazz, permiti-me descontrair e mergulhar finalmente para um lugar onde apenas o desenhar me leva. As minhas linhas dançaram e desapareci, na fuga dos dias, para dentro do papel durante as duas horas que se seguiram.

A Oficina do Desenho é uma associação cultural sem fins lucrativos, fundada em Cascais em 2003, que promove o ensino, a prática e a experimentação das artes visuais e em particular do desenho. As Oficinas Livres do Laboratório Experimental realizam-se às sextas-feiras, das 18h às 21h.

Desenho e texto: Rita Caré

Aquário Vasco da Gama e a bicharada do Rei-Cientista-Pintor

 

Rita Care - AVGama - 5 Mar 2017 (8)
Aquário de Pimpins, Cartas e Peixes-aranha

 

Mais uma vez o Aquário Vasco da Gama neste blog… e o Rei-Cientista-Pintor D. Carlos I…
porque é uma mútua profunda Paixão pela ciência, pelo mar, pela sua divulgação, pelo desenho, pela pintura… Isto deve ser mais Amor, porque senão já tinha mandado tudo para outro lado…

Nas idas ao Aquário Vasco da Gama tenho ultrapassado as minhas próprias expectativas rabiscatórias, porque inspirada pois claro. Não me lembro se alguma vez preenchi cinco duplas páginas num encontro de 3 horas. Gosto muito dos desenhos a linha. Gosto mesmo muito. Os peixes cómicos já foram feitos em casa.

Estive tantos anos sem lá ir e em pouco mais de 13 meses foi a quarta visita. Nesta última vez a grande “desculpa” foi a prevista libertação para breve da “tartaruga das caretas” (ou tartaruga-bobo ou Caretta caretta) para uma vida oceânica. Foi uma celebração do grupo de fotografia e desenho urbano Foto&Sketchers 2 Linhas.

 

Tirei algumas fotografias que estão AQUI.

Os desenhos e fotografias publicados
na 1ª e 2ª visitas do grupo Foto&Sketchers 2 Linhas
ALI e ACOLÁ 

Atrasada, mas nunca tarde no Museu de Etnologia

Algures no tempo, os Oeste Sketchers organizaram um encontro no Museu Nacional de Etnologia. Não podendo lá estar, fui lá recentemente sozinha e visitei uma nova exposição sobre a Arquitectura Timorense. Nesse dia queria mesmo era um motivo para desenhar e não atentei como gostaria nos textos da exposição. Tenho que lá voltar para ficar a saber das suas histórias, pois claro!

rita-care-mnetnologia-2016-2-72

rita-care-mnetnologia-2016-1-72

No fim do meu tempo disponível passei pelo piso térreo da exposição permanente a prometer a mim própria que não ia fazer nem mais um desenho… mas não me cumpri, porque tive um encontro apaixonado com este espécime colorido e não lhe resisti…

rita-care-mnetnologia-2016-3-72

Escadinhas S. Cristóvão | USkP e Roque Gameiro

O Pedro Cabral dos Urban Sketchers Portugal lançou o desafio “Roque Gameiro Lisboa Antiga“, no qual é proposto fazermos um desenho no mesmo local onde o pintor realizou uma das suas aguarelas em Lisboa.

Escolhi as Escadinhas de São Cristóvão, que dão acesso ao Castelo de S. Jorge, porque estive lá por perto. Não estava muito entusiasmada com o local, porque já não existe como era no seu tempo. Por cima do início das escadinhas foi construído um prédio. Por baixo dos actuais arcos existe uma porta que também não estava lá.  Enfim, desenhar edifícios em Lisboa não me chama muito… As perspectivas dão-me volta ao cérebro… Estas estão muito inventadas… .

 

rita-care-esc-s-cristovao-uskp-r-gameiro-lx-23out2016-72dpi
Escadinhas de S. Cristóvão, a caminho do Castelo de S. Jorge, Lisboa

 

Mas depois achei muita piada ao sitio actual. A dita porta, nº 18, estava fechada no momento do desenho, mas os livros nas montras “cheiravam” a alfarrabista. Descobri depois, na Internet, que é a “Livraria do Simão”, um espaço minúsculo. Diz-se por aí que é segunda livraria mais pequena do mundo.

Estou desejando lá voltar, em horário de funcionamento, para espiolhar lá para dentro!

Azenhas do Mar

Cheguei ao pôr-do-sol.
Explorei a vila para a frente e para trás.
Sentei-me numa pedra com vista para a antiga azenha.
Jantei duas bolas de gelado na esplanada mesmo em frente
e percebi que toda a gente nas redondezas sabia
que tinha estado a desenhar…

rita-care-azenhas-do-mar-25set2016-72