Crónica Desenhada | Conversas sobre Panfletária e Liberdade

Crónica Desenhada | Conversas sobre Panfletária e Liberdade por Rita Caré
Conversas sobre Panfletária e Liberdade por Rita Caré (clicar na imagem)

Crónica Desenhada
Conversas sobre Panfletária e Liberdade
| Publicado em XZibit Art |

No final de março, com a aproximação às celebrações do Dia Português da Liberdade, o 25 de abril, a proposta para Desenhar Conversas sobre “A Liberdade e a Arte Panfletária”  soava tentadora.

A Oficina do Desenho – Associação Cultural (OD), em Cascais, convidou Pedro Afonso e Alexandre Bordalo para falarem e refletirem sobre o tema e sobre o seu trabalho, em convívio com os presentes na sessão. Afonso é artista plástico e ilustrador. Bordalo é fotojornalista. As conversas foram moderadas por Rui Aço, artista plástico e Presidente da OD.

“A Liberdade nem sempre é veiculada pela Arte Panfletária!” avisava-nos o anúncio destas conversas. Tem sido usada como meio de comunicação para a denúncia, através da sátira e da ironia, mas também para manipular os povos através de propaganda política e religiosa.

Conversou-se sobre a liberdade, ou não, de expressão e sobre o papel mais ou menos relevante da Arte Panfletária na sociedade ao longo do tempo, desde o século XVIII, através de pintores, poetas, muralistas, arquitetos e outros artistas. Rui Aço lançou o tema através da abordagem à Fábula do Pássaro Bisnau e ao trabalho de diversos autores Portugueses e de outros países. Entre eles, Almada Negreiros, Delacroix, Siqueiros, Zeca Afonso, Ary dos Santos, Sartre, entre outros.

Os convidados e também o moderador têm grande e prolongada experiência profissional e de vida, o que ficou bem vincado pelas opiniões partilhadas e pelas histórias contadas. Pela noite dentro, cada um dos presentes bebeu chá e desenhou em toalhas de papel de mesa, o que lhe ia na alma, fosse abstrato ou realista, tivesse, ou não, a ver com o tema conversado. A Liberdade para Desenhar não tem limites.

“Conversas Desenhadas” é uma proposta bimensal da Oficina do Desenho – Associação Cultural, em Cascais. Aguardemos, pois, pela proposta com que nos brindará em maio de 2017.

Desenho e texto: Rita Caré

Carimbar, carimbar e soltar a imaginação

Rita Care - Delirios Carimbados - Abril 2017 (3) - 1024

Carimbar, carimbar e soltar a imaginação

Estou numa fase de desenho para imaginar e criar e também para explicar ideias e contar histórias através do desenho.  Criei outro blog – Papiro Gráfico para dar vida a este último objectivo.

No último sábado, depois de passar uma fantástica manhã a desenhar do Seixal para o Barreiro já não me apetecia mais desenhar a partir do real.

Virei-me para dentro com ajuda dos carimbos da Marilisa Mesquita. Se desenhar ao estilo urban sketching é encontrar-nos com a criança dentro de nós, carimbar por ali fora é reviver essa criança que fomos com a vantagem de já sabermos o que queremos dos carimbos e dos desenhos.

Rita Care - Delirios Carimbados - Abril 2017 (2) 1024

Rita Care - Delirios Carimbados - Abril 2017 (1) - 1024

Crónica Desenhada com Jazz de John Coltrane

Crónica Desenhada com Jazz de John Coltrane
| Publicado em XZibit Art |

No mês de Março de 2017, a Oficina do Desenho (OD), em Cascais, organizou várias sessões para desenhar a música.

Às 18h daquela sexta-feira chuvosa, o ambiente era animado com alguns jovens a terminar os seus trabalhos artísticos. Os participantes da Oficina Livre do Laboratório Experimental foram chegando. A música que tocava mudou para o jazz do prometido John Coltrane. Ao longo de três horas ouviu-se, por várias vezes, a música “My Favorite Things”, tocada por Coltrane pela primeira vez em 1961.

Desassossegada ao fim de um dia de trabalho, sentei-me e rabisquei no meu caderno. Primeiro, o Miguel Teixeira (arquitecto, artista plástico e Vice-Presidente da Oficina do Desenho) a lavar materiais. Depois, uma das participantes que explorava lentamente as formas de uma folha amachucada. Inspirada pelo momento e pelo som do jazz, permiti-me descontrair e mergulhar finalmente para um lugar onde apenas o desenhar me leva. As minhas linhas dançaram e desapareci, na fuga dos dias, para dentro do papel durante as duas horas que se seguiram.

A Oficina do Desenho é uma associação cultural sem fins lucrativos, fundada em Cascais em 2003, que promove o ensino, a prática e a experimentação das artes visuais e em particular do desenho. As Oficinas Livres do Laboratório Experimental realizam-se às sextas-feiras, das 18h às 21h.

Desenho e texto: Rita Caré

Pedacinhos da Déjà Lu

Estou mesmo lançada em experiências digitais a
partir dos cadernos de urban sketching
para composições com significados.

rita-care-pedacinhos-da-deja-lu-2016-17

rita-care-pedacinhos-da-deja-lu-2016-17-pb-net

Fiz esta composição em desenho digital a partir de fotografias de outros desenhos da livraria Déjà Lu. No final, fui juntando bocadinhos de uma dupla página e de outra e deu nisto. Diverti-me muito. Isto demorou imenso tempo. Não parece, não é? Porque são “só” uns risquinhos… ;-)

Para perceberem de onde vêm todos estes bocadinhos têm que visitar a livraria solidária Déjà Lu, na Fortaleza da Cidadela de Cascais de Terça a Domingo. Para saberem mais visitem o FB

Cartas-Postais de Natal enviados em Fevereiro…

Primeiro criei os três originais a partir de folhas de um livro de desafios de desenho, pintura e escrita criativa para crianças. Pensei em enviar apenas para o trio com quem criei, no Natal, um projecto de troca de cartas-postais durante 2016.

Rita Care - Cartas-Postais-FS2-Fev2016 - red (1)

Mas depois pus-me a olhar para eles e pensei que este ano não enviei postais de Natal a ninguém… Sendo assim, fotocopiei a cores três exemplares de cada um destes cartões e coloquei em nove envelopes, já preenchidos com os respectivos nomes e moradas de forma aleatória, porque não me consegui decidir a quem é que deveria enviar qual cartão…

Rita Care - Cartas-Postais-FS2-Fev2016 - red (2)

Fiquei com os originais e colei-os num caderno que tenho para colar postais que me enviam ou trabalhos que me oferecem.

Rita Care - Cartas-Postais-FS2-Fev2016 - red (3)
Onde é que está o “Wally”…? Onde é que estão as 4 gafes neste cartão…? Cabeça de “alho chocho”… A vida [vírgula] tal com[O] as páginas [vírgula] brilha + com LUZ!
Produzi esse caderno, num curso de encadernação Japonesa, onde também estavam a Dina e a Raquel. Depois desse curso percebi que este tipo de cadernos só me serve mesmo para criar álbuns e nunca para rabiscos. A parte lateral da colagem e da costura não permite que o caderno abra totalmente a 180º… ora qualquer sketcher experiente já percebeu que estes cadernos são bons para apanharmos grandes camadas de nervos… e isso é o que não queremos para as nossas vidas e muito menos quando estão envolvidos rabiscos! ;-)

Durante muito tempo não sabia o que fazer com ele. Agora já sei!
É o Caderno dos Abraços!   :D

Rita Care - Cartas-Postais-FS2-Fev2016 - red (4)

Vá respondam-me para eu adicionar mais cartões ao “Caderno dos Abraços I”, sim?

Apesar de ter enviado 9 cartas, ainda não enviei as cartas para toda as pessoas que quero que recebam uma carta-postal de “Natal”. Essas pessoas irão receber algo muito diferente. De seguida vou dar destino a 4 postais de 2 autores que tiveram um papel muito importante para a minha vida dos rabiscos! Tenho os postais há anos. Já olhei muito para eles e agora contaram-me que querem ir agradar as vistas de outras pessoas…! Imaginem… os objectos cá de casa falam comigo…