Carimbar, carimbar e soltar a imaginação

Rita Care - Delirios Carimbados - Abril 2017 (3) - 1024

Carimbar, carimbar e soltar a imaginação

Estou numa fase de desenho para imaginar e criar e também para explicar ideias e contar histórias através do desenho.  Criei outro blog – Papiro Gráfico para dar vida a este último objectivo.

No último sábado, depois de passar uma fantástica manhã a desenhar do Seixal para o Barreiro já não me apetecia mais desenhar a partir do real.

Virei-me para dentro com ajuda dos carimbos da Marilisa Mesquita. Se desenhar ao estilo urban sketching é encontrar-nos com a criança dentro de nós, carimbar por ali fora é reviver essa criança que fomos com a vantagem de já sabermos o que queremos dos carimbos e dos desenhos.

Rita Care - Delirios Carimbados - Abril 2017 (2) 1024

Rita Care - Delirios Carimbados - Abril 2017 (1) - 1024

“Meu querido Barreiro” com vista do Seixal

Rita Care - Querido Barreiro - Seixal - M.Rolao - Abr2017 - 1024 (5)
Foi uma bela manhã de Primavera no Seixal com vista para o Barreiro com as histórias de urban sketching do Henrique Vogado, desta vez o convidado especial de mais um workshop da Manuela Rolão com a L1B.

Os desafios foram muito interessantes e os desenhos resultaram fantásticos em mais uma animada sessão à beira do Rio Tejo, brindados com a presença de uma elegante Garça-real e de um clima de boa disposição.

 

 

A “Seita” dos Rabiscos pelas Chaminés em Campo de Ourique

| A “Seita” dos Rabiscos |
Percurso das Grandes Chaminés de Tijolo
Campo de Ourique, Lisboa – 25.2.2017
Org. Desenhar Campo Ourique e Rosário Félix

A

Os sketches do dia serão publicados quando os tiver pintado :)

Liverpool – Reportagem: edifícios

Não costumo interessar-me por desenhar edifícios para fugir às perspectivas. Gosto mais de me entreter com a composição de objectos. Liverpool foi um tempo de desenho fora do comum com vários edifícios no caderno (alguns não acabados por falta de tempo ou por vontade própria) e experiências de vários materiais que me fizeram sair da zona de conforto nos rabiscos. A escolha de edifícios também teve a ver com a oportunidade e com o encanto que sinto pela construção típica da cidade com tijolos escuros. Na volta, reparei que não pintei qualquer desenho com a cor desses tijolos…

DSCF6809 (579x1024)
Victoria Museum – Desenho com caneta de gel 0,38
DSCF6812 (1024x562)
Desenho com caneta de gel 0,38 e azul com marcador de pincel

Usei uma estranha caneta de tinta de aparo que não tem ponta de aparo. Comprei-a num hipermercado na véspera de ir. Esta altura do ano é uma tentação para descobrir  materiais novos nos supermercados, porque vem aí o tempo das compras de materiais escolares para o novo ano lectivo. Também usei uma caneta técnica da Rotring de 0,7 que encontrei numa loja de materiais de arte de Liverpool. Deixei de encontrar estas canetas à venda em Portugal e acho que são as melhores de todas entre as várias marcas que as vendem.

Preenchi vários desenhos com lápis-de-cor “mágicos”.

DSCF6813 (1024x543)
Old Cathedral – Desenho com esferográfica de tinta de aparo e lápis-de-cor “mágicos”
DSCF6815 (1024x557)
Andy conduz à direita – Desenho-cego com esferográfica de tinta de aparo e pastel

Paris – Reportagem – Museu de Cluny e au revoir!

O Museu de Cluny dedica-se à história medieval.  Visitei-o de pés ensopados pela chuva, que se iniciou neste dia e teve como consequência as cheias históricas em França nos dias seguintes.

As peças de que mais gosto nos museus são quase sempre pequenas e produzidas com materiais “menores”. Nada de ouros, nem tapeçarias gigantes apesar de incríveis, como as que reportam a história da Dama e do Unicórnio, representado ali no marcador de livros.

A peça que mais me impressionou foi este cantil de barro, com uma tira de pele para transportar ao pescoço, dos séc. III-IV. Fiquei muito tempo a olhar para ele e a pensar neste objecto fundamental na vida de um viajante de há tantos séculos atrás, de como seria difícil e perigoso viver, mas em como tudo seria talvez mais “simples”…

Rita Care - Paris (13)

E depois de mais uma salada magnífica no “La Piscine”, voámos de regresso ao fim do dia…Rita Care - Paris (14)