Rabisco da Costa da Caparica com vistas para Casa


Isto é um verdadeiro Rabisco. Alguns risquinhos por aqui e por ali com umas cores de canetas infantis. O que interessa é ser feliz com tudo o resto: as pessoas Giras, as ondas… os olhos fechados deitada nas rochas ao sol,
o calor do Inverno.

Aqui o Búgio dos nossos corações, rabiscado de mais um ângulo que acho que ainda não tinha guardado num caderno.

Os edíficios Palmeiras em Oeiras viam-se mesmo bem, porque em dias assim o ar é muito transparente. Ver o meu prédio lá mais atrás foi incrível… Quando me sinto assim aconchegada está na hora de ir embora para ficar com a sensação de que sempre Amei os sítios que escolhi. Já vivi em várias cidades e nunca gostei de habitar nenhum lugar como aqui, mesmo na fronteira Oeiras-Carcavelos, onde fiz o meu Abrigo há mais de 12 anos. É um pouco estranho viver nas Fronteiras e nas Pontes, mas é aí que Sou Eu em todos os sentidos, não é?

Não deve haver nada que faça de tão importante como ser eu própria uma Ponte.

P.S. Talvez seja por isso que gosto tanto de aviõezinhos de papel. 
Eles voam e podem levar mensagens escritas e desenhadas com eles. 

P.S. 2. Pronto, encontrei-me com um delírio e fiz uma ponte com o meu desenho. É isso mesmo que queria quando resolvi vir para aqui postar… Já cumpri o meu Sábado. :)

Anúncios

Um mês, um mês muito difícil, UM RECOMEÇO

Rita Care - 1 Mes - Dez2017-Jan2018 (1)

Desde o Verão de 2017, a vida tem sido muito difícil, porque o corpo estava gravemente doente desde há muito mais tempo. Contudo, em Junho de 2017 tornou-se insuportável. A recuperação contínua e não sei se alguma vez mais saberei o que é viver sem Dores. Mas desde há muitos anos, por causa das enxaquecas devido a crises terríveis de sinusite e rinite não deixo que o meu corpo comande o que quero muito fazer. Pelo menos tento. Não é uma vontade racional. É a minha mente que manda mais do que eu. Sei lá, se calhar é o instinto de sobrevivência. Às vezes tenho de racionalmente obrigar-me a ficar parada do corpo e também da cabeça, somente a olhar para uma parede branca, para o mar, para um relvado, para as flores…

Este caderno foi produzido pela Marilisa Mesquita, com grande carinho e  propositadamente para a “viagem” que ambas sabíamos que eu ia ter que fazer. É A6 e não é um “Caderno” clássico, mas em harmónia, concebido para ser leve, mas para pintar aguarela se me apetecesse. Ela produziu 4 destes cadernos muito compridos.

Clicar para ver as imagens em sistema de carrossel
e na setas para avançar ou para voltar atrás

 

Estes desenhos foram feitos no espaço de um mês, de Dezembro de 2017 a Janeiro de 2018. Do primeiro desenho ao segundo há um intervalo de três semanas… Tem de tudo, desde urban sketching (desenho de observação no local), sketchnoting (rabiscos de ideias) a desenho por fotografia e a desenho de memória, a aguarela, lápis de cor e guache. O primeiro desenho foi feito no quarto do hospital, antes da cirurgia, e os restantes foram feitos em Vila Franca de Xira, em casa da família ou na rua.

Este é um caderno muito importante, porque marca um tempo de RENOVAÇãO. A vida jamais será a mesma. Terá que ser LENTA e LEVE. Mas esta viagem tem sido feita sempre acompanhada por Família e Amigos muito queridos que, ao longo dos dias e através das incríveis tecnologias para smartphone não me deixaram esmurecer,  trazendo-me para cima nos dias mais dolorosos.  Essas pessoas sabem quem são :)

Estou a reeinventar-me e isso é mesmo muito bom. Sentia há muito que tinha que mudar e não sabia por onde ir. A vida aponta-me caminhos aqui e ali e vou estando atenta e tomando as minhas decisões consoante as oportunidades que surgem. Estou viva e caminho. Agora parece mesmo um milagre criado pela alta tecnologia e conhecimento médico. Há 5 ou 10 anos atrás talvez estivesse numa cadeira de rodas. É brutal, não é? É, mas eu estou mesmo viva e aqui a andar pela rua e a emagrecer muito para melhorar lentamente o meu Viver. É a terceira vez que a Medicina me salva a vida em 41 anos. Obrigada Deus por inventares as mãos, o desenho, a escrita, o cérebro humano e a Medicina e a Tecnologia do séc. XXI.

Durante aquele mês, deitada na cama a olhar para o tecto imaginei o projecto Salto Virtual (#VirtualJumpSketch). Demorei quase três meses a pô-lo em prática, mas pûs e estou muito orgulhosa de todos os que nele têm participado. É incrível o grande Salto que deram na sua forma de desenhar!

Este post é publicado, por acaso, noutro dia (5 de Abril de 2018) muito marcante e espero que seja o primeiro dia de uma viagem extraordinária que, se correr bem, será partilhada nos próximos tempos.

Pensamentos +++

A Miúda dos Abraços regressou Reformulada para Abraçar a Vida a Sorrir

Rita Caré, 41 anos

 

 

 

 

 

Praia da Poça, Estoril

Neste dia  fiz o desenho do Forte de São Pedro da Poça, na Praia da Poça que está lá em baixo, mas a perspectiva das escadas ficou uma bela treta e estraguei a composição do desenho, que teria ficado bem gira. Esta dupla página está muito simples, mas isto de desenhar os barquinhos lá ao longe nos mares de Cascais traz-me sempre uma estranha serenidade. Fiz assim as pazes com o rabisco do forte.

 

Rita Care - Praia Poca Estoril - Jul 2017 (1)
Praia da Poça, Estoril

 

Rita Care - Praia Poca Estorial - Jul 2017 (2)
Praia da Poça, Estoril

 

 

Forte da Praia da Poca Estoril - Jul 2017
Forte de São Pedro da Poça,  Praia da Poça, Estoril

 

 

Cascais vista da Praia do Tamariz

Num dos últimos encontros dos Foto&Sketchers 2 Linhas cheguei muito cansada à Praia do Tamariz, no Estoril, depois do trabalho e estive mais de uma hora na converseta e a bisbilhotar o que estavam os outros a fazer.

Depois de ver dois a rabiscar a vista para Cascais, não resisti…

Rita Care - Cascais vista da Praia do Tamariz - 1024
Baía de Cascais vista da Praia do Tamariz, no Estoril

 

Notícias da Varanda… da Costa da Caparica

No contexto dos acontecimentos da semana passada, homenageámos a Maria Celeste de diferentes formas, como pudemos, soubemos, sentimos… No último fim-de-semana passei uma tarde muito especial com a Marilisa e outra tarde muito especial com a Manuela e com o César, sempre com tantos outros sketchers no pensamento (organizou-se uma exposição em Óbidos com desenhos da João do Rio e publicou-se um texto na newsletter dos Urban Sketchers Portugal), todos grandes companheiros de rabiscos da MC.

Estivemos contigo e tu connosco, Maria Celeste, da forma que sabemos que adoras: comemos bem, brindámos, desenhámos “notícias da varanda”, da sala e da varanda com vista para a arriba da Costa da Caparica… e dissemos muitos disparates, coerentes com a tua boa disposição e forma de saboreares a vida!

Noticias da Varanda da Costa da Caparica - Maio 2017 (2) - 1024

Noticias da Varanda da Costa da Caparica - Maio 2017 (1) - 1024.JPG

Texto de homenagem
na newsletter dos Urban Sketchers Portugal:
Maria Celeste: Vens à João do Rio

Almoco de Rabiscos na Costa por Cesar Caldeira 2017
Foto de César Caldeira

 

 

Uma chaminé aqui, outra ali, outra acolá…

rita-care-encontro-chamines-campo-ourique-25fev2017-3-red

Uma chaminé aqui, outra ali, outra acolá… A Rosário Félix convidou-nos para passarmos uma manhã a desenhar umas chaminés atrás das outras em Campo de Ourique. Estava um frio de rachar a cana do nariz, mas ainda bem que fui! 

Dissemos muitos disparates divertidos para aquecer a alma…

Cada vez me interesso menos pela qualidade dos trabalhos e muito mais pelos momentos bem passados e pelo processo de desenhar. Mudo objectos de sítio para bem da minha conveniência. Uma pessoa tem é que se divertir!

Gosto muito deste caderno para experiências, mas também para usar a aguarela do meu coração!

rita-care-encontro-chamines-campo-ourique-25fev2017-1-red

rita-care-encontro-chamines-campo-ourique-25fev2017-2-red

Florestas Tropicais no Oceanário

No dia 1 de Janeiro de 2017, fui resolver uma promessa feita a mim própria quando entreguei o projecto de Mestrado. A data parecia gira, porque icónica: o primeiro dia do ano, do resto da Vida. Quase não se podia andar… os tanques maiores estavam inacessíveis pela quantidade de pessoas. Perguntávamos se seriamos as únicas Portuguesas por entre a multidão.

O momento com estas características movimentadas ao redor, a complexidade de formas e o movimento dos peixes convidava ao desenho cedo e semi-cego. Muito bom para descontrair. Foi uma espécie de garden sketching zen.

Gosto tanto destes rabiscos serenos que não tenho coragem para os pintar.

rita-care-florestas-tropicais-oceanario-72

Depois passámos meia hora ou mais a observar as lontras marinhas, seres muito interessantes no seu comportamento.

Ponta do Sal rabiscada ao almoço

Faz de conta que estamos na Primavera, de t-shirt à beira-mar.
Ainda no fim-de-semana passado a chuva que não parava
e dormi com um monte de cobertores,
só de nariz e sobrancelhas de fora…

rita-care-ponta-do-sal-cascais-dez-2016

Cidade Liberta II [agora em digital]

rita-care-cidade-inventada-ii-digital-2016

Há mais de 8 anos pintei esta aguarela abstracta a partir de uma foto que encontrei por aí. Não sei qual o local fotografado, mas imaginei sempre que havia algo de Istambul aqui…

Gosto tanto dela que a tenho na minha sala. Hoje passei o dia de pijama a olhar o passado e a reiventá-la no tablet “de chocolate”. Foram muitas horas… Já não sabia o que era estar assim horas e horas sem pensar noutra coisa qualquer muito importante para fazer e a sentir-me culpada por não ir enfrentá-la.

cidadeliberta
Paisagem urbana imaginada