Rabiscos de Ciência no Instituto Gulbenkian de Ciência

No Dia Aberto 2018 do Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC)  da Fundação Calouste Gulbenkian, o grupo FotoSketchers 2 Linhas tiveram visitas guiadas  com a investigadora Joana Carvalho a laboratórios que se dedicam à descoberta do desconhecido sobre desenvolvimento, evolução e biodiversidade. Observámos duas espécies “Top Model” do IGC, moscas do vinagre e borboletas. O grupo da tarde visitou o biotério das moscas.

Visitar um laboratório onde se trabalha todos os dias é uma uma experiência muito interessante.

Os investigadores são pessoas muito criativas. Olhem o que desenharam com o musgo. Reparem nestes detalhes no laboratório. O sentido de humor e o espirito critico sempre presentes!

 

Anúncios

Apontamentos Desenhados do meu Perfil Profissional e não só…

Os Rabiscos de Ideias entraram na minha vida há quase dois anos. Um belo dia pûs-me a pesquisar informação sobre infografias. E de repente fui dar com o Doug Neill e o seu projecto “Verbal To Visual”, que é cada vez mais uma escola internacional de Rabiscos de Ideias. A minha história Verbal To Visual continua em baixo.

Depois desse tempo nas andanças dos rabiscos de ideias, apareceu a oportunidade de conhecer muitos dos sketchnoters que sigo na Internet. Onde? Em casa! Em Lisboa, durante o SketchNote Camp 2018! :D

Essa conferência pode ser seguida nas várias redes sociais através das hashtags: #isc18lx e/ou #ISC18LX

Tal como diz o Doug Neil, “Let’s give it a try to #SketchNotes“.

Os inscritos foram convidados a enviarem o seu perfil para o livro da conferência. E daí surgiu este Rabisco de Ideias da minha vida profissional e académica até Setembro de 2018.

I’m Rita Caré, my nickname  is @ritacarepapiro at Facebook, Twitter  & Instagram  and my favourite hashtag is #RabiscarIdeias

Rabiscos de Ideias - Perfil de Rita Care - Set 2018 - Comunicacao Ciencia - SciComm

Identifiquei-me imediatamente com o Doug Neill do Verbal To Visual, porque para além de explorar o desenho de uma forma totalmente diferente da minha, ele tem formação científica. Foi um professor frustrado com o sistema norte americano do ensino básico e secundário. Então, pôs as mãos na massa e ao longo dos últimos cinco anos montou uma escola deste tipo de desenho que explora os conceitos (conhecido por sketchnotes, visualnotes, rabiscos de ideias, apontamentos desenhados, pensamento visual ou reportagem gráfica, etc…).

O Doug produz os seus materiais para todos, mas tem uma tendência muito grande para ir de encontro às necessidades que os professores têm (embora a maioria nem sequer saiba disso) e para os incentivar a utilizar esta ferramenta com os seus alunos.

Imaginem isto no contexto mítico e terrível de que se estamos a desenhar é porque não estamos atentos e de que “eu não sei desenhar nem nunca saberei”.

Bom, perante isto decidi criar o blog Papiro Gráfico – que ando a ameaçar há meses passar totalmente para este, o blog Papiro papirus. Os meus rabiscos de ideias e os posts desse “outro” blog gráfico estão já por aqui meio desarrumados sob as categoria Papiro Gráfico e Reportagem Desenhada.

Se tem interesse em conhecer as minhas histórias de vida, pode ler o meu resumo e o meu perfil escrito por Carolina Lobão Figueira.

Reportagem Gráfica com Sue Pillans sobre Rabiscos de Ideias com Ciência

Rita Care - SN_Hangout w Sue Pillans 25jun2017 (2) - 1200
Sketchnote Hangout com Sue Pillans | 1 de 2

Este Sketchnote Hangout com a Sue Pillans, conhecida também por Dr. Suzie Starfish, foi um bocadinho complicado de assistir, porque não estava na serinidade do lar – Não podia perder um SN Hangout sobre ciência! Depois de ver as reportagens de outros participantes até acho que consegui captar muita informação.

Esta é a 3ª versão e talvez venha a haver uma 4ª versão melhorada para três páginas ou para uma página A3. Continuo a dizer que quando conseguir à 2ª versão faço uma festa de rabiscos!!

Rita Care - SN_Hangout w Sue Pillans 25jun2017 (1) - 1200
Sketchnote Hangout com Sue Pillans | 2 de 2

Reflexão / Auto-crítica:

  • Esta 3ª versão não é muito diferente da segunda, tal como aconteceu nas experiências anteriores. Consegui mais espeços em branco na primeira página e na metade esquerda da segunda.
  • O layout da 2ª página tem os textos um pouco encavalitados, mas acho que melhorei muito, sobretudo porque agora sinto que sei escolher melhor que marcadores usar para este tamanho de páginas (A5) e também consigo criar tipos de letras diferentes. Tenho mesmo de me mentalizar que devo usar uma régua para que os textos fiquem direitos.
  • Tenho também de melhorar na função de cada tipo de letra e na função de cada uma das 3 ou 4 cores a usar.
  • Talvez venha a haver uma 4ª versão utilizando A3 e marcadores em vez de canetas, uma estrutura melhorada com mais brancos, mais ícons e menos texto.