Funcionário colonial, Mali – MNEtnologia

A Felicidade do difícil e o desapontamento por afinal não ser o D. Quixote… perdi o romantismo do desenho a meio…

A Felicidade e a Tristeza de usufruir da possibilidade de limpar o chão esticando-me por ali e de um museu às moscas…

Museu Nacional de Etnologia by Rita Caré 2019

Preferia não ter o Museu Nacional de Etnologia às moscas e ficar inibida com a curiosidade dos visitantes pelos rabiscos que fazemos… Este Museu é dos preferidos dos sketchers, porque os seus objectos parecem mágicos, saídos de contos de fadas em terras longínquas. É muito intimista e poético.

Tudo isto se passou num dos últimos encontros do FotoSketchers 2 Linhas no Museu Nacional de Etnologia, em Lisboa.

Anúncios

Cartaz digital para o Encontro FS 2´´ no Museu Geológico

Desde o principio do ano, tenho este projecto de criar imagens digitais. Os cartazes para os encontros do grupo FotoSketchers 2 Linhas são um excelente exercício. Para os criar inspiro-me em fotografias e em desenhos já criados, meus ou de outros membros do grupo ou de autoria dos museus ou outros espaços culturais a visitar.

Para o encontro no Museu Geológico, em Lisboa, inspirei-me em desenhos da Teresa Ogando e da Marilisa Mesquita.

Ando a tentar trabalhar com fundos negros, mas parece-me que vou seguir o conselho da Marilisa e passar a usar fundos brancos ou muito claros, porque resulta melhor para divulgar nas redes sociais. Um bom exemplo, parece-me ter sido um dos cartazes anteriores.

Rabiscos Digitais: Mais uma tentativa para ficar…

Passar um fim-de-semana de meias e com rabiscos no quentinho, a fingir que se tem 5 anos, convivendo com a Alice é muito abraçado. Aprender com  Alice também, porque nenhuma criança de 5 anos sem pré-aviso tem medo de agarrar num tablet a sério e explorar as ferramentas sem dificuldade nenhuma. Parecem eles que já vêm com chip instalado…

Titá muito favorecida…
Não se deixem enganar isto é um avião…

Não tenho problema nenhum de a sentar ao meu lado e passar-lhe uma fortuna para a mão, desde que esteja de olho. A Alice é uma criança sossegadinha e que adora rabiscar como todas as crianças. A facilidade com que usou a caneta digital Surface, pesada, foi incrível. Mesmo muito. E aprendi tanto, porque a Alice não teve os medos adultos de estragar a ponta e por isso fez a pressão intuitiva para criar traços largos! Levou o precioso objecto ao limite, coisa que eu demoraria muito tempo a fazer. 

digital sketches, sn challenge, sn hangout, Rita Caré

Entretanto, quando fiquei a sós com a tecnologia atirei-me para os exercícios SN_Challenge do projecto SN_Hangout da Makayla Lewis para me motivar a não desistir das minhas explorações. Estes rabiscos, que significam metade do desafio, demoraram 3 horas a criar. Com materiais clássicos demoro 1 a 1h30 acumprir o desafio, dependendo da dificuldade do tópico proposto. Chegarei lá no digital :)

Qual é o programa utilizado… Não digo. Mas deixo a dica que deixo sempre para os materiais clássicos. Se querem saber do que gostam e querem usar têm que experimentar tudo o que vos aparece disponível. 

Torre de Babel digital

RitaCare-CapaCidadesInvisiveis-ATorredeBabel-Jan2018

Ando a namorar de ler “As cidades Invisiveis” de Italo Calvino, mas não há meio…  Os livros esperam, esperam por nós eternamente até ao dia… Este espera há anos. Este, cuja a capa rabisquei no tablet, até já tem as folhas amarelas. Possivelmente já eram um pouco amarelas quando o comprei, não me lembro onde…

 

Define-te Rita… | Prefiro desenhar-me…

Ontem fui entrevistada por uma aluna do Mestrado de Comunicação de Ciência, para a disciplina de Jornalismo de Ciência e Tecnologia. A Carolina Figueira tem que escrever o meu perfil. Estivemos bastante tempo à conversa sobre o meu passado, o que tenho feito na Vida por aí. Ela vai falar com algumas pessoas muito importantes da minha vida pessoal e profissional para compor o seu trabalho.

Estou um bocado nostálgica hoje.

Tenho saudades tuas Pata. Não sinto falta nenhuma dos tempos de garotas e do início da vida adulta, mas tenho saudades nossas, das conversas noite dentro sobre quase tudo, de rirmos tontas de coisas que só nós percebíamos. Tantas vezes não precisavamos de falar, bastava um olhar e sabíamos o que estavamos a pensar.

Durante a entrevista, a Carolina pediu-me para eu me definir. Respondi-lhe que preferia desenhar-me! Fiz um desenho muito à pressa e muito feio no caderno dela. Vim para casa pensar nisso e hoje de manhã criei este desenho digital que é o novo logo para o meu blog dos Rabiscos de Ideias, o Papiro Gráfico, que anda ainda mais quieto do que este blog, mas isso vai mudar em breve.

Rita Caré - Ainda não acabei de pensar nisso... 22 Nov 2017

Não sei se eu e a Pata realmente compreendemos o que significa que “eu ainda não acabei de pensar…” Nunca vou acabar de pensar nisto, naquilo e em tudo o que me interessa e me apaixona, por exemplo: de onde viemos, para onde vamos…?

A Pata nem sempre compreende porque é que eu perco o meu precioso tempo a pensar “demais”, mas aceita-me como Sou. Talvez seja das poucas pessoas que me aceita como sou, a Tita.

 

Peixes, peixinhos, peixões no Oceanário

Peixes, peixinhos, peixões… ratões,
peixe-lua, raias, manta e tubarões…

As horas dedicadas à “peixeirada sketching” no Oceanário dentro do meu diário gráfico triplicaram no tablet… Ganhei na auto-aprendizagem, no divertimento e na composição que queria. Quase, porque o branco está demasiado vincado para o meu gosto neste primeiro trabalho e aquela barracuda… não havia necessidade e de lhe faltar um bocado… É sempre a aprender!

Percebi ter um fascínio por raias e mantas que desconhecia. Houvesse mais tempo e teria desenhado ainda mais, mas já saímos de lá depois da hora graças à paciência da minha companhia :)

Um dia destes farei qualquer coisa digital com a Floresta Tropical Aquática

w-rita-care-oceanario-lx-jan2017-3

W - Rita Care - Oceanario Lx - Jan2017 (5).png

PS. Estes desenhos foram criados com técnica de desenho-cego. Esta versão está praticamente igual aos desenhos originais. Nunca deixo de me surpreender com o enorme potencial desta técnica para se conseguir uma aproximação às formas dos seres vivos… que não param quietos!!

Pedacinhos da Déjà Lu

Estou mesmo lançada em experiências digitais a
partir dos cadernos de urban sketching
para composições com significados.

rita-care-pedacinhos-da-deja-lu-2016-17

rita-care-pedacinhos-da-deja-lu-2016-17-pb-net

Fiz esta composição em desenho digital a partir de fotografias de outros desenhos da livraria Déjà Lu. No final, fui juntando bocadinhos de uma dupla página e de outra e deu nisto. Diverti-me muito. Isto demorou imenso tempo. Não parece, não é? Porque são “só” uns risquinhos… ;-)

Para perceberem de onde vêm todos estes bocadinhos têm que visitar a livraria solidária Déjà Lu, na Fortaleza da Cidadela de Cascais de Terça a Domingo. Para saberem mais visitem o FB

“Bonsai” da rotunda do Estoril

Na Rotunda do Estoril, depois da estação de comboios, na direcção de Cascais, há uma rotunda recheada de árvores magníficas que fazem lembrar bonsais. Não sei se são mesmo bonsais, mas a rotunda chamava por mim há demasiado tempo.

Continuo nas experiências digitais, claro. Retirei uma das árvores do contexto, cuja paisagem é a entrada de um hotel e coloquei-a à beira-mar “plantada”.

rita-care-bonsais-oliveira-jan-2017-800