Letras para comboios…

Os comboios estavam mesmo a “pedir” para os desenharmos.

Ninguém diria que os sketchers são pessoas sociáveis pelo silêncio do ambiente rabiscatório, aparentemente quieto, com que que os visitantes “normais” se deparavam ao chegar à rotunda das locomotivas. Se tivesse desenhado o grupo naquele momento teria colocado umas nuvenzinhas de fumo a sair de todas as cabeças e da ponta das suas canetas a rabiscar avidamente parafusos e perspectivas dificílimas!

Locomotiva Choupelo by Rita Caré

Primeiro explorei as diferentes zonas do museu para perceber as possibilidades e conhecer o espaço. Só depois decidi sentar-me em frente a esta locomotiva para evitar meter-me em grandes sarilhos. Era das locomotivas mais pequenas. Desenhei-a assim de lado e em contraluz para evitar ver detalhes. Confesso! Evitei enfrentar qualquer perspectiva desesperante no meu caderno.

Vicente Sardinha by Rita Caré

Durante o almoço desenhei um clássico: o Vicente! Só agora reparo que ele parece estar a cair de sono para dentro da sopa… Mas gosto muito do resultado da camisola…

 Mala do Revisor, bilhetes, máquina de bilhetes by Rita Caré

Para finalizar o meu dia dediquei-me ao que mais gosto no urban sketching: composição de pequenos objectos preciosos na dupla página e aguarela.

P.S. Este caderno é também ele uma pérola.
É uma antiga agenda desusada, oferecida pela Teresa Ogando,
que estou a adorar usar com aguarela.

Anúncios

1 thought on “Letras para comboios…”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s