Hamburgo: quando o traço se solta pelo calor insuportável…

A memória mais forte de Hamburgo será para sempre a temperatura elevadíssima e o calor húmido que senti e para o qual não estava de todo preparada… Antes de ir até comprei um corta-vento para para os ventos frios e a chuva… Foi mesmo muito difícil, tanto que quase não desenhei por lá. E quando o fiz foi no refúgio das noites mais frescas ou de espaços com temperaturas amenas onde descansei.

Bar Hamburg-Jul2014- Rita Caré - 600
Café Kyti Voo a beber a cola de Hamburgo

As dificuldades, no entanto, tiveram um benefício: o traço soltou-se pela desresponsabilidade que senti perante os desenhos.

Hamburg-Jul2014- Rita Caré (1) - 600
Do outro lado da rua um restaurante Português “O Pote”

Se não estava com espírito para passear muito menos para desenhar… Sinto que perdi um dia por responsabilidade e muita incompetência da TAP e do cancelamento de um voo que comprei em Abril e mais dois dias perdida a sobreviver ao meu corpo esgotado pelo calor húmido insuportável.

Lake Hamburg-Jul2014- Rita Caré - 600
Lago Alster

Mas trouxe comigo um desejo muito forte de voltar e boas memórias de novos amigos que fiz por lá e que espero ver em breve, da simpatia e pela forma gentil com que me receberam e do extraordinário esforço para falarem em Inglês.

Hamburg-Jul2014- Rita Caré (3) -600
Café Speicherstadt

Da cidade houve momentos e locais muito interessantes. No Porto de Hamburgo houve um momento tecnicamente muito estético: a manobra incrível de um cargueiro enorme a poucos metros da área mais turística do porto e do local onde me sentei a ver. No Garten und Blumen existe um belíssimo jardim Japonês recheado de energias positivas. Nesse mesmo parque assisti a um concerto de luzes e repuxos de água ao som de tango deitada na relva com milhares de pessoas a desfrutar de um pôr-do-sol (lá anoitece muito mais tarde do que em Lisboa) a 30º C. Trouxe comigo a imagem imaginada do que será o enorme Lago Alster coberto de gelo em estado de “caipirinha” como eles dizem – quadros do século XIX e fotografias recentes do Inverno passado ajudam à imaginação. Há tanto verde por todos os lados e isso é muito especial, mas não esqueçamos que só é possível porque chove quase todos os dias em Hamburgo… Na próxima oportunidade vou explorar com mais tempo as Histórias da área do Porto e dos Armazéns de Hamburgo e a forma como toda aquela área sobreviveu às duas grandes guerras mundiais e se reconstruiu.

Luneburg - Jul 2014 - Rita Caré (2) - 600
Lüneburg

A cereja no topo do bolo foi a cidade de Lüneburg que visitei e que fiquei a achar que deve ser a “Óbidos” ali das redondezas. Infelizmente o calor imenso não me ajudou a visitá-la com o tempo e a paciência com que me apetece explorar este tipo de sítios.

Luneburg - Jul 2014 - Rita Caré - 600
Música em Lüneburg

Quando quase tudo fica por fazer é para voltar… e depressa!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s